Alma Nua.

Posted domingo, 24 de janeiro de 2010 by Hannar
Sentimentos misturados
turvam-me a visão.
Ouço vozes que não são minhas.
Risos que não são meus...
Renuncio a mim mesma,
Já não sei quem fui,
quem serei...
E a verdade é que já nem me importa.
Estrangeira em minha própria terra,
ando em silêncio,
por trilhas que me levam a lugar algum.
Sigo sem deixar vestígios...
Contornos os rabiscos desenhados pelas ondas,
que lambem a areia
E caminho desenhando aleatoriamente,
figuras desconexas
Assim...
Assim livre...
Assim sem compromisso,
Assim sem pressa...
Assim, sem volta,
Cabelos lambidos pelo vento
Pés descalços...
Alma nua...

                         Glória Salles.

0 comentários:

Postar um comentário